Primeiro trimestre tem menor percentual de cheques sem fundos desde 2011, mostra Serasa Experian

Categorias: Notícias

O percentual de devoluções de cheques pela segunda vez por insuficiência de fundos no mês no primeiro trimestre do ano foi de 2,00% em relação ao total de cheques compensados, segundo o Indicador Serasa Experian de Cheques Sem Fundos. O percentual é o menor já registrado para o período desde 2011, quando o número foi de 1,89% de devoluções.

 

Para o mês de março, o percentual de devoluções foi de 2,22%, queda em relação ao número registrado em março de 2017, que foi de 2,34%. Em relação ao mês anterior, fevereiro de 2018, quando o número foi de 1,80%, o percentual sofreu alta. Em março, foram 822.067 cheques devolvidos e 36.977.791 cheques compensados. O mesmo período do ano anterior totalizou 1.124.362 cheques devolvidos e 47.977.094 cheques compensados.

Segundo os economistas da Serasa Experian, a consolidação da retomada do crescimento econômico com inflação baixa e sob controle, juros mais baixos e lenta recuperação do emprego favoreceram a redução dos níveis de inadimplência com cheques neste primeiro trimestre no país.

 

Nos Estados e regiões

Em março de 2018, entre as regiões do país, a liderança de devoluções foi da região Nordeste, com 3,74% de cheques devolvidos. O Sul apresentou o menor percentual de devoluções no período: 1,68%.

Já entre os estados, o Amapá segue na liderança do ranking de cheques sem fundos em março de 2018: foram 15,19% de cheques devolvidos. Na outra ponta, Mato Grosso do Sul teve o menor percentual de devoluções: 2,12%.

Na Região Norte, a devolução de cheques em março/18 foi de 3,97% do total de cheques compensados, maior que o número registrado no mês anterior, fevereiro/18, quando o percentual foi de 3,31%, e menor que os 4,40% registrado em março/17.

 

Na Região Nordeste, a devolução de cheques em março/18 foi de 4,28% do total de cheques compensados, maior que a devolução registrada no mês anterior, fevereiro/18, quando o percentual foi de 3,46%, e menor também que os 4,41% registrado em março/17.

Em Alagoas, a devolução de cheques em março/18 foi de 4,80% do total de cheques compensados, menor que a devolução de 3,93% registrada em fevereiro/18. Em março/17, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos em Alagoas havia sido de 4,73% do total de cheques compensados.

Na Bahia, a devolução de cheques em março/18 foi de 3,82% do total de cheques compensados, menor que a devolução de 3,19% registrada em fevereiro/18. Em março/17, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos na Bahia havia sido de 3,98% do total de cheques compensados.

No Ceará, a devolução de cheques em março/18 foi de 4,55% do total de cheques compensados, menor que a devolução de 3,36% registrada em fevereiro/18. Em março/17, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos no Ceará foi de 4,76% do total de cheques compensados.

No Maranhão, a devolução de cheques em março/18 foi de 9,30% do total de cheques compensados, menor que a devolução de 7,97 registrada em fevereiro/18. Em março/17, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos no Maranhão havia sido de 8,91% do total de cheques compensados.

Na Paraíba, a devolução de cheques em janeiro/18 foi de 4,39% do total de cheques compensados, menor que a devolução de 3,48% registrada em dezembro/17. Em janeiro/17, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos na Paraíba havia sido de 4,45% do total de cheques compensados.

Em Pernambuco, a devolução de cheques em março/18 foi de 3,26% do total de cheques compensados, maior que a devolução de 2,59% registrada em fevereiro/18. Em janeiro/17, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos em Pernambuco havia sido de 3,30% do total de cheques compensados.

No Piauí, a devolução de cheques em março/18 foi de 6,71% do total de cheques compensados, maior que a devolução de 5,28% registrada em fevereiro/18. Em março/17, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos no Piauí havia sido de 6,41% do total de cheques compensados.

No Rio Grande do Norte, a devolução de cheques em março/18 foi de 4,59% do total de cheques compensados, maior que a devolução de 3,86% registrada em fevereiro/17. Em março/17, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos no Rio Grande do Norte havia sido de 5,15% do total de cheques compensados.

Em Sergipe, a devolução de cheques em março/18 foi de 4,41% do total de cheques compensados, maior que a devolução de 3,69% registrada em fevereiro/18. Em março/17, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos em Sergipe havia sido de 4,44% do total de cheques compensados.

 

Na Região Sudeste, a devolução de cheques em março/18 foi de 1,93% do total de cheques compensados, maior que a devolução de 1,56% registrada em fevereiro/18. Em março/17, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos na Região Sudeste havia sido de 1,99% do total de cheques compensados.

No Espírito Santo, a devolução de cheques em março/18 foi de 2,29% do total de cheques compensados, maior que a devolução de 1,79% registrada em fevereiro/18. Em março/17, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos no Espírito Santo havia sido de 2,71% do total de cheques compensados.

Em Minas Gerais, a devolução de cheques em março/18 foi de 2,11% do total de cheques compensados, maior que o índice de 1,70% registrado em fevereiro/18. Em março/17, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos em Minas Gerais havia sido de 2,12% do total de cheques compensados.

No Rio de Janeiro, a devolução de cheques em março/18 foi de 2,00% do total de cheques compensados, maior que a devolução de 1,71% registrada em fevereiro/18. Em março/17, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos no Rio de Janeiro havia sido de 2,24% do total de cheques compensados.

Em São Paulo, a devolução de cheques em março/18 foi de 1,81% do total de cheques compensados, maior que a devolução de 1,46% registrada em fevereiro/18. Em março/17, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos em São Paulo havia sido de 1,85% do total de cheques compensados.

 

Na Região Sul, a devolução de cheques em março/18 foi de 1,85% do total de cheques compensados, maior que a devolução de 1,51% registrada em fevereiro/18. Em março/17, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos na Região Sul havia sido de 2,00% do total de cheques compensados.

No Paraná, a devolução de cheques em março/18 foi de 1,75% do total de cheques compensados, maior que a devolução de 1,43% registrada em fevereiro/18. Em março/17, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos no Paraná havia sido de 1,89% do total de cheques compensados.

No Rio Grande do Sul, a devolução de cheques em março/18 foi de 2,01% do total de cheques compensados, maior que a devolução de 1,75% registrada em fevereiro/18. Em março/17, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos no Rio Grande do Sul havia sido de 2,19% do total de cheques compensados.

Em Santa Catarina, a devolução de cheques em março/18 foi de 1,85% do total de cheques compensados, maior que a devolução de 1,37% registrada em fevereiro/18. Em março/17, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos em Santa Catarina havia sido de 1,96% do total de cheques compensados.

 

Na Região Centro-Oeste, a devolução de cheques em março/18 foi de 2,69% do total de cheques compensados, menor que a devolução de 2,15% registrada em fevereiro/18. Em março/17, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos na Região Centro-Oeste havia sido de 2,95% do total de cheques compensados.

No Distrito Federal, a devolução de cheques em março/18 foi de 3,39% do total de cheques compensados, maior que a devolução de 2,68 registrada em fevereiro/18. Em março/17, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos no Distrito Federal havia sido de 3,75% do total de cheques compensados.

Em Goiás, a devolução de cheques em março/18 foi de 2,79% do total de cheques compensados, menor que a devolução de 2,17% registrada em fevereiro/18. Em março/17, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos em Goiás havia sido de 2,84% do total de cheques compensados.

No Mato Grosso do Sul, a devolução de cheques em março/18 foi de 2,26% do total de cheques compensados, maior que a devolução de 1,90% registrada em fevereiro/18. Em março/17, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos no Mato Grosso do Sul havia sido de 2,65% do total de cheques compensados.

No Mato Grosso, a devolução de cheques em março/18 foi de 2,31% do total de cheques compensados, maior que a devolução de 1,93% registrada em dezembro/17. Em janeiro/17, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos no Mato Grosso havia sido de 2,84% do total de cheques compensados.

No Acre, em março/18, a devolução foi de 9,69%. Em fevereiro/18, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos havia sido de 7,06% do total de cheques compensados. Em março/2017 o Acre havia registrado 8,44% de cheques devolvidos.

No Amazonas, a devolução de cheques em março/18 foi de 7,31% do total de cheques compensados, maior que a devolução de 6,16% registrada em fevereiro/18. Em março/17, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos no Amazonas havia sido de 7,46% do total de cheques compensados.

No Amapá, a devolução de cheques em março/18 foi de 18,26% do total de cheques compensados, maior que a devolução de 15,02% registrada em fevereiro/18. Em março/17, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos no Amapá havia sido de 18,37% do total de cheques compensados.

No Pará, a devolução de cheques em março/18 foi de 6,29% do total de cheques compensados, maior que a devolução de 5,22% registrada em fevereiro/18. Em março/17, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos no Pará havia sido de 6,96% do total de cheques compensados.

Em Rondônia, a devolução de cheques em março/18 foi de 1,73% do total de cheques compensados, maior que a devolução de 1,52% registrada em fevereiro/18. Em março/17, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos em Rondônia havia sido de 1,88% do total de cheques compensados.

Em Roraima, a devolução de cheques, em março/18 foi de 14,43%, do total de cheques compensados, maior que a devolução de 11,52% registrada em fevereiro/18. Em março/17, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos em Roraima havia sido de 12,92% do total de cheques compensados.

No Tocantins, a devolução de cheques em março/18 foi de 4,55% do total de cheques compensados, menor que a devolução de 3,70% registrada em fevereiro/18. Em março/17, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos no Tocantins havia sido de 4,93% do total de cheques compensados.

 

 

Fonte: Administradores

 

 

120x120

Comente

O seu endereço de email não será publicado