Netspeed apoia Projeto Social que atende 400 crianças

Postado em: Categorias: 20 anos de Netspeed

Muitas foram as crises ao longo da história da humanidade. No Brasil, especificamente, sabemos que as atividades sociais são de suma importância para a busca da igualdade social. Porém, os últimos acontecimentos deixaram diversas famílias em estado de urgência. O que significa que, apesar da luta diária e da existência de programas sociais, sejam eles governamentais ou não, precisaram se reorganizar para atender uma demanda maior de casos.

 

No post de hoje, o destaque é o  Projeto Viva e as ações que são desenvolvidas para beneficiar cerca de 400 crianças e adolescentes. Confira!

 

A pandemia trouxe um novo quadro de desemprego e estagnou alguns planos de obter um cenário financeiro mais promissor para o país. Ao certo, não se sabe quantos desempregados e trabalhadores informais foram prejudicados, até agora. Mas, de acordo com estimativa realizada pela Agência Globo G1, e divulgada em 09.06.2020, a Secretaria de Trabalho do Ministério da Economia apresentou o número de registros relacionados ao seguro-desemprego, que chegam a 960,2 mil pedidos, só no mês de maio. Ainda, conforme informações citadas pela agência, este número chega a ser 53% maior que o apurado no mesmo mês do ano de 2019, quando os números de pedidos chegaram a 627,7 mil. Vale lembrar que não estamos citando aqui, o número de trabalhadores informais.

 

Cada Projeto Social tem o intuito de fazer valer o que diz a Constituição Federal de 1988, em que o Art. 6º diz:  “São direitos sociais a educação, a saúde, a alimentação, o trabalho, a moradia, o transporte, o lazer, a segurança, a previdência social, a proteção à maternidade e à infância, a assistência aos desamparados, na forma desta Constituição”. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 90, de 2015)

 

E é nesta hora que o trabalho humano, solidário e de amor ao próximo, entra em ação. A desigualdade sempre existiu, porém, é no momento presente que se fazem ainda mais necessárias ações sociais que auxiliem no combate à fome e à exclusão social.

 

Assim é o Projeto Viva, uma Organização da Sociedade Civil que, com anos de existência, presta serviços à sociedade, tais como atividades educacionais, promovendo a socialização, preservando e cuidando da vida de aproximadamente 400 crianças e, por conseguinte, de suas famílias.

 

A instituição, localizada no bairro Eldorado, em São José do Rio Preto, durante esses anos de existência, já colocou em prática diversas ações sociais. Para dar mais detalhes sobre o Projeto Viva e como são desenvolvidas as atividades na instituição, o Gestor em Recursos Humanos, da Netspeed Tecnologia em Sistemas,  Gilson Humberto Sandrin, e que faz parte, também, das iniciativas do Projeto Viva, nos dá alguns detalhes sobre o trabalho desenvolvido lá. Acompanhe:

 

Netspeed: Quais atividades são desenvolvidas pelo projeto? 

Gilson Humberto Sandrin: Oficinas de Educação Ambiental, Esportiva, Linguagem e Comunicação, Informática, Orientação de tarefas escolares e atividades lúdicas.

 

N: O projeto surgiu há quanto tempo? 

GHS. O Projeto Viva surgiu há 33 anos, em São José do Rio Preto.

 

N: Quem pode fazer parte? 

GHS. Crianças e adolescentes matriculados no ensino fundamental.

 

N: Como a Netspeed aderiu à ideia do Projeto Viva? 

GHS: Ao conhecer o Projeto Viva, a Netspeed abraçou a causa. Hoje somos o maior parceiro do projeto, proporcionando mais dignidade e qualidade de vida para as nossas crianças e adolescentes.

 

N: Como são feitas as doações?

GHS. As doações são feitas de várias formas: alimentos, material pedagógico, material de construção, eletrodomésticos e prestação de serviços, entre outros.

 

N: E, neste período em que as atividades estão suspensas, quais foram as iniciativas tomadas tanto pelo Projeto como por seus colaboradores?

GHS: Fizemos uma grande compra e montamos 24 cestas básicas para distribuir entre as famílias mais carentes do projeto, além de estarmos ajudando a quitar a reforma do piso da escola, para que, ao serem restabelecidas as atividades, as crianças possam usufruir das aulas da melhor maneira.

 MicrosoftTeams-image (17)

N: Na sua opinião, o que é necessário para continuar a suprir as necessidades da Instituição?

GHS: Que todas as pessoas que, hoje, tiverem uma situação socioeconômica razoável, passem a contribuir com os projetos, criem dentro de sua empresa uma cooperativa, façam uma campanha nos grupos de mídias sociais e arrecadem alimentos para fornecer aos projetos, além de se inscreverem nos projetos de trabalho voluntário, que são muitos.

 

N:Quem quiser colaborar com o Projeto Viva, quais caminhos precisa trilhar?

GHS: O início de tudo é comparecer a um projeto e ver a real necessidade que eles passam no dia a dia, além de fazer uma boa divulgação na empresa e procurar sensibilizar a todos, para que possam doar um valor espontâneo. 

 

Há uma frase que se ouve sempre, e é muito impactante: “Doe sem doer”. Ou seja, dê às pessoas que necessitam um pouco de qualidade de vida, dignidade e força para voltarem no outro dia e continuarem seu sonho. Quem sabe desse projeto não saia um professor, um médico, engenheiro, arquiteto, etc. Não podemos abandoná-los nem deixar seus sonhos para trás.

 

Renato Mafetoni Garcia e Gilson Humberto Sandrin, na entrega de doações de alimentos.
Renato Mafetoni Garcia e Gilson Humberto Sandrin, na entrega de doações de alimentos

 

“Acho muito saudável essa iniciativa da empresa em ter escolhido esse projeto, nos dando a oportunidade de conhecê-lo e, de alguma forma, poder contribuir. Penso que a felicidade em saber que aquele pequeno gesto é bem empregado no auxílio de crianças do ensino fundamental, é uma das melhores formas de se poder ajudar alguém, quanto mais crianças em idade de pleno aprendizado. O sentimento que as visitas à sede do projeto me trazem é de bem-estar e gratidão, como se houvesse uma troca, pois nos sentimos úteis, de alguma forma. No final de cada ano, eles sempre enviam alguma mensagem ou vídeo, demonstrando gratidão com quem contribui e isso me deixa mais que satisfeito”, declarou o colaborador Renato Mafetoni Garcia, líder do setor fiscal da Netspeed.

 

A Coordenadora Pedagógica, Juliana Rodrigues Antunes, explica que a atuação do Projeto Viva, nestes 33 anos, vem modificando a realidade de milhares de crianças do município, por meio do esporte, arte, cultura e educação.  Segundo ela, com o espaço de convivência há o fortalecimento de vínculos, tornando o território um espaço de reconquista de direitos, protagonismo infantil e redução do índice de criminalidade, tráfico de drogas, analfabetismo e pobreza, no contexto que estão inseridos.

 

“Minha ligação com o Projeto Viva começou em 2011, quando era estagiária do Fundo Social, que, na época, fazia a supervisão do Projeto. Em 2013, fui trabalhar como Assistente Social, na unidade do Eldorado; mas, neste mesmo ano, tive que sair para assumir outro cargo. Voltei em 2017, como Coordenadora Pedagógica, e estou até hoje nessa função.  Nossas atividades, por conta da pandemia, são realizadas remotamente, através das aulas online. Realizamos ações sociais, como a doação de cestas básicas, roupas, cobertores, móveis, álcool gel, entre outros, informou.

 

Ainda de acordo com a coordenadora, a instituição também faz empréstimo de livros para a prática da leitura e distribuição de atividades impressas, sempre tomando as devidas medidas de proteção para a segurança das famílias e dos colaboradores do Projeto Viva.

 

 Além disso, a proximidade é mantida com as famílias assistidas. O WhatsApp é uma ferramenta utilizada para realizar ligações e orientar as crianças e os adolescentes. E não é só isso! Todos que fazem parte do projeto, recebem uma ligação para lembrar o aniversário e receber aquele parabéns especial.

 

 “O projeto, para continuar a sobreviver, necessita de parceiros, pois são eles que nos ajudam a caminhar com mais qualidade e dignidade. Para nós, a Netspeed é esse parceiro que, nas horas mais difíceis, nos traz socorro, se sensibiliza com a nossa causa e nos permite dividir nossas angústias, transformando-as em alegrias. Somos gratos à Netspeed por nos ajudar a cuidar tão bem do nosso projeto e das nossas crianças, de modo especial neste período de pandemia, pois nos auxilia com doações de alimentos às nossas famílias”, finalizou a coordenadora.

 

 Com crise ou não, a frase pode parecer clichê, mas cabe muito bem neste momento de reflexão e amor ao próximo, e podemos mudar a expressão: “Neste momento de crise” para: Neste momento e em todos os dias da vida,  posso doar o que há de melhor em mim. Não existe crise ou desigualdade que persista, se, no lugar de toda calamidade, existir a Solidariedade.

 

 

O Projeto Viva tem duas unidades na cidade de São José do Rio Preto:

Unidade I –  Eldorado: Rua Fernandópolis, 3136 – Telefone: (17) 3237-0827.

Unidade II – Dom Lafaiete: Rua Antônio Francisco Coutinho, s/nº – Telefone: (17) 3236-4299.

 

 

 

 

Deixe seu comentário.

Para ter acesso a conteúdo de qualidade e a novidades em primeira mão, curta nossa página e fique ligado no nosso Facebook.

logotipo-netspeed

 

 

Comente

O seu endereço de email não será publicado